SEGUIDORES...

30 de janeiro de 2014

Calendário 2014













Créditos www.ensinar-apreder.com.br

Projeto Copa do Mundo

Objetivos:

• Conhecer, valorizar e divulgar as diversas culturas.

• Identificar as danças, músicas, comidas, crenças e roupas tradicionais de cada país.

• Conhecer a história das copas.

• Identificar cada país e os dias que jogam.

 

Formulação dos Problemas:

• Onde será realizada a Copa do Mundo?

• O que podemos observar nos grupos?

• Quais são as comidas e danças típicas dos países participantes?

• Você conhece algum desses países?

 

Tempo da Atividade: Depende do ritmo da turma

 

Material:

• Material para fazer a viseira: cartolina, canetas, colas, etc.

• Hino Nacional

 

Temas Transversais

 

Ética e cidadania: Envolver todo o conteúdo no tema PAZ, já que se fala em campeonato mundial, abordar a união dos povos pelo esporte, a necessidade de um trabalho coletivo bem planejado , o respeito entre os envolvidos e com as regras, bem como aceitação de que não se vence sempre... Que temos que aceitar a derrota e dela extrairmos novas estratégias.

Meio ambiente: Observar no meio ambiente as mudanças ocorridas em razão da Copa (pinturas, enfeites em geral) e analisar os aspectos positivos (torcida) e negativos (poluição visual, sujeira).

Pluralidade cultural: Observar a língua falada em outros países e resgatar alguns usos e costumes de alguns países que nós, brasileiros, herdamos. As colônias brasileiras nos países que sediam a Copa e colônias destes países no Brasil.

Sensibilização: Mostrar fatos aos alunos, ler textos ou exibir vídeos sobre as Copas.

Biblioteca: Leitura do texto: Jogo de bola (Cecília Meireles). Leituras sobre as copas (jornais, revistas, livros). Montar uma revistinha da copa com atividades desenvolvidas nas diversas disciplinas.

Ed. Artística: Viseira da Copa / Bandeirinhas para enfeitar a escola / Desenhos livres sobre a Copa.

Música: Rumo ao Penta (Pelé)

Ed. Física: Organizar um jogo de futebol / As regras do futebol e a função de cada jogador./ Tipo de roupa adequada para a prática do futebol (uniforme). / Organização da fila e Posição adequada para cantar o Hino Nacional.

Vídeo: Franklin aprende a jogar bola (aborda a questão do preparo físico, a técnica – regras e a ação coletiva do grupo) Cartoon network – tv a cabo.

Português: O Hino Nacional. A letra do hino enfatizando as palavras que as crianças mais erram; pesquisa no dicionário do significado das palavras mais difíceis; música da Copa; músicas de copas anteriores, músicas que abordam o tema futebol, bem como jingles antigos e recentes com o tema futebol. Texto: Jogo de bola (Cecília Meireles); livros de literatura infantil (a verificar); e Entendimento e ilustração; atividades de escrita e leitura como cruzadinhas, caça-palavras, curiosidades, trava-línguas, etc. Organização de Listas de nomes comuns no futebol, de nomes próprios (nome dos jogadores, técnico, juiz e demais personalidades do futebol na Copa); observar a língua falada nos países envolvidos na Copa, dando ênfase aos que sediam o campeonato e os que disputam diretamente com o Brasil; leitura de noticiários diários – textos jornalísticos;

Matemática: Quantas vezes o Brasil foi campeão? Significado da palavra Penta (bem como tetra, tri, bi – campeão). Significado dos termos: oitavas de final, quartas de final, semi – final e final. Quantidade de jogadores num jogo de futebol. Os reservas da seleção (função). Agenda da copa. Análise do placar dos jogos do Brasil. O comércio que envolve a Copa (bandeiras, camisetas, apito, etc); Liga pontos.

História e Geografia: História das Copas. Sede da Copa. Curiosidades sobre a vida das pessoas do país onde ocorre a Copa. (usos e costumes). Localização no mapa da sede da Copa. Acompanhar a agenda da Copa e os jogos do Brasil bem como seus adversários. A Bandeira Brasileira. As bandeiras dos países que estão sediando a Copa e as bandeiras dos demais países. Falar que todos os países têm o seu Hino Nacional. Mãos de obra temporária que surge em razão da copa. O respeito às demais seleções. Reforçar o espírito patriótico. Retrospectiva das Copas.

Ciências: A saúde: alimentação, prática de esportes, o condicionamento físico, saúde mental, o repouso. O exame anti-doping; Campanha anti-drogas (na historia das copas, esta foi a única que até o momento todos os exames anti-doping obteve resultados negativos). O fumo e o álcool: são incompatíveis com a prática de esportes. Os valores nutricionais de alguns alimentos. Dicas para uma dieta bem equilibrada para as crianças. Montar com as crianças um cardápio. Cuidados com os fogos e balões.

Conclusões e Aplicações: Participação individual e em grupo em cada etapa de trabalho. Elaboração das pesquisas, de cartazes, ensaio das coreografias, etc.

 

 

FONTE:

27 de janeiro de 2014

Plano de aula matemática: Tangram




OBJETIVOS:
· Trabalhar o raciocínio espacial, a análise e síntese.
· Familiarizar o aluno com as figuras básicas da Geometria.
· Mostrar que a Matemática pode ser divertida.

CONTEÚDO:
. Figuras geométricas.

MATERIAL:
- Um tangram para cada criança, que pode ser reproduzido em cartolinas coloridas.
- giz de cera, canetinhas, cola, papel sulfite

PROCEDIMENTOS:
- Dividir a sala em grupos de 4 a 6 alunos;
- Distribuir um tangram para cada aluno;
- Conversar sobre a origem do tangram e como se joga.
- Os alunos vão construir figuras usando todas as peças do tangram.
- Distribuir exemplos de figuras formadas para tentar reproduzir
- Depois de montada a figura a criança deve colar na folha de sulfite e desenhar montando um cenário.
- Construir um mural com todas as figuras formadas para socialização no grupo.

AVALIAÇÃO:
Registro contínuo das observações dos alunos na execução da atividade, a participação e o interesse.

Para a professora


Para o papai




Os quatros pilares da educação


[1] http:/ / unesdoc. unesco. org/ images/ 0012/ 001298/ 129801por. pdf
 
FONTE: http://pedagogiaalfabetizarcomamor.blogspot.com.br/search/label/moldes?updated-max=2012-11-13T15:49:00-08:00&max-results=20&start=3&by-date=false

Alfabetização: teoria e prática

"O construtivismo não é um método para a prática pedagógica. No entanto, o construtivismo contribui para o entendimento da forma como ocorre o aprendizado, e, nesse sentido, influencia na definição dos objetivos da educação formal e na formulação da intervenção pedagógica."

"Ao introduzirem uma linha de investigação evolutiva no campo da escrita, FERREIRO e TEBEROSKY trazem a possibilidade de melhor se entender a questão específica da escrita, até então ausente das
pesquisas feitas pela Linguística, pela Psicologia, pela Pedagogia."

"FERREIRO oferece-nos um instrumental de possibilidades de ver a criança no seu processo de aquisição da escrita, de verificar o que ela sabe e o que ela não sabe, porque é no que ela ainda não sabe, no que ela pode e tem condições de fazer com ajuda, com interferência do adulto, que o professor vai atuar. Nesse sentido, a descrição evolutiva ultrapassa o nível do diagnóstico e da avaliação inicial e contribui efetivamente para informar o desenho de situações de
ensino/aprendizagem."
"Muitas vezes a criança pergunta: "Está certo?". E o professor responde: "Está.". O que a criança procura ao fazer suas perguntas? O que ela está querendo de nós, professores? Ela está querendo
compartilhar a sua escrita, o que significa também o reconhecimento de uma imposição social da forma ortográfica. A escrita tem um valor social exatamente porque pode ser compartilhada. Portanto, escrever, por exemplo, pato com apenas a e o não é algo que possa ser compartilhado..."

"...a aprendizagem da leitura e da escrita não se dá espontaneamente; ao contrário, exige uma ação deliberada do professor e, portanto, uma qualificação de quem ensina. Exige planejamento e decisões a respeito do tipo, freqüência, diversidade, seqüência das atividades de aprendizagem. Mas essas decisões são tomadas em função do que se considera como papel do aluno e do professor nesse processo; por exemplo, as experiências que a criança teve ou não em relação à leitura e à escrita. Incluem, também, os critérios que definem o estar alfabetizado no contexto de uma cultura."




Marília Claret Geres Duran
 
 
FONTE: http://pedagogiaalfabetizarcomamor.blogspot.com.br/search/label/moldes?updated-max=2012-11-13T15:49:00-08:00&max-results=20&start=3&by-date=false

Conheça as diferenças entre os métodos de alfabetização


Fônico
Enfatiza as relações símbolo-som. Há duas "correntes". Na sintética, o aluno conhece os sons representados pelas letras e combina esses sons para pronunciar palavras. Na analítica, o aluno aprende primeiro uma série de palavras e depois parte para a associação entre o som e as partes das palavras. Pode utilizar cartilhas.

Linguagem total ("whole language")
Defende que os sistemas linguísticos estão interligados, e que a segmentação em imagens ou sons deve ser evitada. Os estudantes são apresentados a textos inteiros, já que acredita-se que "se aprende lendo". Em sala de aula, o professor lê textos para os alunos, que acompanham a leitura com o mesmo texto, assim se "familiarizando" com a linguagem escrita. A partir dessa familiarização, vão aprendendo palavras e, depois, as sílabas e as letras. Não utiliza cartilhas.

Orientação dos PCN's
Diagnóstico prévio do aluno antes de optar por qualquer método. Algumas crianças entram na primeira série sabendo ler. O professor lê textos em voz alta e é acompanhado pela classe, que tem em mãos os mesmos textos. Os alunos são estimulados a copiar textos com base em uma situação social pré-existente: por exemplo, eles ouvem poesias e compõem, por cópia ou colagem, seus cadernos de poemas favoritos. A leitura em voz alta por parte dos estudantes é substituída por encenações de situações que foram lidas, desenhos que ilustram os trechos lidos etc. As crianças aprendem a escrever em letra de forma; a consciência fônica é uma consequência. Não utiliza cartilhas.

Alfabético
Os alunos primeiro identificam as letras pelos seus nomes, depois soletram as sílabas e, em seguida, as palavras antes de lerem sentenças curtas e, finalmente, histórias. Quando os alunos encontram palavras desconhecidas, as soletram até decodificá-las. Pode utilizar cartilhas.

Analítico
Também conhecido como método "olhar-e-dizer", começa com unidades completas de linguagem e mais tarde as divide em partes. Exemplo: as sentenças são divididas em palavras, e as palavras, em sons. O "Orbis Sensualium Pictus" é considerado o primeiro livro escolar importante. Abaixo das gravuras estavam os nomes impressos para que os estudantes memorizassem as palavras, sem associá-las a letras e sons. Pode utilizar cartilhas.

Sintético
Começa a ensinar por partes ou elementos das palavras, tais como letras, sons ou sílabas, para depois combiná-los em palavras. A ênfase é a correspondência som-símbolo. Pode utilizar cartilhas.
 

Template by:

Free Blog Templates