SEGUIDORES...

1 de junho de 2012

Crenças e adivinhações das festas juninas

CRENÇAS
   
Uma das maiores crenças populares dessa época é a que a samambaia só dálor à meia-noite do dia 23 para 24 de junho. No resto do ano nada. Mas esta noite o perfume dessas flores enlouquecem e quem consegue apanhar pelo menos uma flor, será feliz por toda a vida. No amor, será sempre correspondido integralmente. Mas, é preciso estar a postos, pois a flor de samambaia só dura alguns minutos, secando logo depois.
COMPADRIO:
Nos lugares onde o padre só aparece de tempos em tempos, na noite de São João, é costume o compadrio de fogo. Os pais levam a criança para perto da fogueira e dizem o seu nome bem alto, enquanto os padrinhos fazem um juramento de proteger a criança, pulando depois três vezes sobre a fogueira. A criança está batizada e os pais ganham um compadre.
CORPO FECHADO:
Em algumas partes do Brasil, acredita-se que à noite de São João seja a ideal para efetuar o “fechamento do corpo com reza brava”. Basta carregar um bentinho junto ao peito, pular fogueira, passar pé descalço sobre as cinzas e recitar algumas orações apropriadas.
FARTURA:
O levantamento do mastro deve acontecer no dia 12 de junho, na festa de Santo Antônio. O buraco no chão deve ser tampado com ovos de galinha, grãos de milho e de feijão, pois as galinhas ficam sem pestes e as colheitas se tornam boas. Um limão na ponta do mastro dá fertilidade à terra. As árvores estéreis que não dão frutos, se forem surradas com varas, na noite de São João, tornam-se frutíferas. O tição apagado da fogueira de São João serve para ser queimado nos dias escuros, quando ameaça tempestade ou trovoada, tendo o mesmo valor do ramo bento do Domingo de Ramos. Além disso, protege as colheitas e, se for colocado no galinheiro, protege as galinhas contra a peste.


ADIVINHAÇÕES

O que mais se usa fazer na noite de São João são as adivinhações. Assim, por exemplo, à meia-noite, três cabeças de alho cada uma correspondendo a um namorado. No dia seguinte, a que tiver nascido será o nome do futuro marido. Outra sorte é a do ovo. Pouco antes da meia-noite, quebram um ovo num prato novo que está colocado sobre uma toalha nova. À meia-noite, acende-se um palito de fósforo de uma caixa nova olhando para o prato. Se tiverem que se casar, aparecerá a figura de um noivo. Se tiverem de morrer, aparecerá uma rede e se tiverem que viajar, um navio.

A agulha também serve para adivinhação. Basta colocá-la num prato cheio d’água. Se ela afundar, a moça não se casa aquele ano, mas se boiar é bom ir preparando o enxoval.
O tronco da bananeira serve, igualmente, para a sorte. Pega-se um canivete e dá-se um profundo talho no tronco. No dia seguinte, se lá estiver a figura de um navio, é viagem.
Se tiver uma cruz, é morte. Mas se aparecer uma flor, um altar ou uma igreja, o casamento é garantido.
FONTE:  CENTRO MUNICIPAL DE ESTUDOS E PROJETOS EDUCACIONAIS JULIETA DINIZ - CEMEPE

1 comentários:

Anônimo disse...

ACHO ESSA SITE MUITO MUITO MENININHA CREDO !!!!!!!!!!

Postar um comentário

Template by:

Free Blog Templates